Pensando Juntos

A Pauta do Amanhã

Antever cenários, identificar oportunidades, e apontar caminhos inovadores para gerar qualidade de vida, é a nossa missão

Quanto mais protege, mais enfraquece. É Assim com filhos, empregos, empresas. Funcionários públicos estáveis, emprego garantido, não se esforçam, pois não tem desafios nem riscos. Gastam a vida estagnados. Talvez seja o castigo. Porém, quem sofre mais  é o usuário do serviço, que mal é prestado. Proteger é sempre uma “fria”. Para proteger os pobres os governos acabam deixando-os  mais pobres. Para proteger os TAXISTAS, complicam a vida do UBER, um serviço melhor, com mais qualidade e mais barato. Para proteger os  canais de TV , complicam a vida do NETFLIX. Para proteger as companhias telefônicas, complicam a vida do WhatsApp. Proteja o que é fraco e faça-o mais fraco. Ao proteger  o “sem competência” também se prejudica a todos. A nação brasileira está na encruzilhada das grandes decisões. Decide-se agora se vamos continuar a destruir o futuro ou dar vazão ao espírito livre do empreendedorismo para salva-lo. Milton Friedmam, nessa reflexão (vídeo abaixo) sobre o salário mínimo, explica que o rótulo da garrafa pode não garantir a qualidade do produto e ainda como os bem intencionados podem estar sendo manipulados pelos interesses de classes.

Os sindicatos estão fazendo papel importante na história do Brasil nos últimos 30 anos.

Nos últimos 15 como protagonistas absolutos. Veja o vídeo.

21 fev 2016 - jornalista@paulosergiorosa.com