Pensando Juntos

A Pauta do Amanhã

Antever cenários, identificar oportunidades, e apontar caminhos inovadores para gerar qualidade de vida, é a nossa missão

Segundo o Business Insider, essas são as profissões com probalidade de serem automatizadas rapidamente…

1. Operadores de telemarketing – 99% – Já existe boa parte de robôs no lugar de humanos. Eles podem não somente fazer o trabalho por 24h, como manter a calma, independente de como os consumidores falam com ele.

2. Preparador de impostos – 98,7% – Um exemplo: automatizar o processo de preparar declarações de impostos pode diminuir o número de erros – e a tecnologia para isso já existe.

3. Montadores de calendários de dispositivos – 98,5%- As máquinas agora conseguem realizar a montagem, ajuste ou calibração precisa do horário e calendário de dispositivos, algo em que montadores se especializavam.

4. Agentes de crédito – 98,4%- Existem empresas que já substituíram os agentes por algoritmos que identificam os clientes confiáveis – e os resultados são positivos.

5. Caixas de banco – 98,3%- Nos Estados Unidos, o banco ATM raramente utiliza pessoas para esta função.

6. Árbitros de esporte – 98,3% – Em jogos de tênis profissional, já se utiliza um árbitro computadorizado que auxilia o árbitro chefe a fazer chamadas de linha mais precisas. O aparelho determina se a bola caiu dentro ou fora de quadra, o que reduz o número de erros.

7. Funcionários de aquisição – 98% – Já é muito simples e possível que máquinas façam pedidos, junto aos fornecedores, de materiais e serviços. Além disso, a possibilidade de fazer todo o pedido pela internet resultará em uma queda desses empregos.

8. Operadores de embalagem e carregamento da máquina – 98% – Usar robôs para preparar produtos industriais ou de consumo para o estoque ou entrega está se tornando mais comum.

9. Operador de máquinas de aplainamento – 97,7% – Ajustar, operar ou cuidar de tais máquinas são tarefas cada vez mais designadas a robôs.

10. Analistas de crédito – 97,9% – Automatizar o processo de analisar dados de crédito e declarações financeiras e preparar relatórios com informação de crédito, se feitas por robôs, podem ter um grau menor de risco.

11. Motoristas – 97,8% – Motoristas e chauffeurs não serão necessários por muito mais tempo, visto que os testes de carros “auto-dirigíveis” do Google já dirigiram diversos quilômetros sem a intervenção humana.

12. Modelos – 97,6% – Além de “substituir” as modelos, testes de robôs mostram que alguns também já podem atuar. Essa é talvez a mais surpreendente das carreiras a serem substituídas.

13. Secretária legal – 97,6% – Como a tecnologia já permite que os executivos, por conta própria, agendem reuniões e ligações, a profissão está desaparecendo.

14. Técnico em contabilidade – 97,6% – Grandes empresas, como a americana Verizon, já usam software para automatizar as atividades de um escriturário. Com os robôs, são necessários apenas 10 funcionários para pagar os fornecedores, enquanto sem eles eram necessários 80 por lá.

15. Funcionários do caixa – 97,1% – As máquinas de “auto-pagamento” já existem em muitas lojas no mundo todo.

16. Funcionários de afiação e de polir – 97% – Robôs são cada vez mais capazes de polir ou afiar uma variedade objetos de metais, madeira, pedra, plástico e vidro.

17. Cozinheiros de restaurante – 96,3% – Um restaurante em Shanxi, na China, já possui um robô chamado Foxbot, capaz de cozinhar e cortar macarrões.

18. Trabalhadores de pedras preciosas, jóias e metais – 95,5% – A previsão é de que o emprego tenha uma queda de 10% entre hoje e 2022.

19. Funcionários do correio – 95,4% – Os robôs conseguem classificar as correspondências mais rapidamente – e, com a tecnologia, o correio tradicional está se tornando cada vez mais obsoleto.

20. Montadores de equipamentos elétricos e eletrônicos – 95,1% – Devido à sua precisão, robôs estão se tornando essenciais no processo de produção de eletrônicos. Eles são usados para colocar lâmpadas de LED, inspecionar placas de circuito, etc.

O video abaixo, mostra como um robô, de nova geração, aprende sozinho. Algumas empresas jornalísticas estão testando robôs que, após leitura de varias matérias em vários jornais, aprendem e escrevem resumos sobre o assunto. Cada dia fica mais claro que funções repetitivas,  são para maquinas, e não para pessoas.

25 Aug 2015 - jornalista@paulosergiorosa.com